AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

28/04/2022

Pronunciamento

“Estamos falando de alimentação e de um valor irrisório”, critica Marlina sobre corte de refeições no Centro Pop

Destaque

A vereadora Marlina Oliveira Schiessl (PT) ocupou a tribuna durante a sessão ordinária desta terça-feira, 26 de abril, para tecer considerações acerca do corte do almoço e do café da tarde oferecidos a pessoas em situação de rua no Centro Pop - tema abordado antes em pronunciamento de Jocimar dos Santos (DC). A descontinuidade dos serviços foi uma decisão da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, sob a justificativa de reajuste orçamentário.

Marlina apontou para a complexidade do assunto em pauta e disse que “a vulnerabilidade social que uma pessoa vivencia quando chega ao ponto de viver em condição de rua é fruto de uma experiência histórica” que não pode ser desconsiderada e contextualizou que a pandemia de Covid-19 causou desemprego e falta de renda, principalmente aos mais pobres. “Quando o nosso país passa por uma crise como essa, um dos primeiros acontecimentos é o de perder tudo e a rua se tornar a única opção”.

Por isso, defendeu, a situação de rua de um indivíduo não pode ser encarada como “está lá porque quer” ou “não quer trabalhar”. Para exemplificar, ela questionou se os moradores de rua do município teriam como assumir alguma das vagas divulgadas pelo Sistema Nacional do Emprego (Sine) em Brusque, haja vista os requisitos de qualificação profissional exigidos dos candidatos. “Se para pessoas que têm uma certa condição de concorrer, já é difícil, imaginem para pessoas que têm problemáticas acumuladas historicamente, questões de vício, adaptação social ou educação”, refletiu.

“Esse corte me deixa extremamente triste e preocupada, primeiro porque, como relatou o vereador Jocimar, existia uma cultura na administração, e nenhum prefeito se atreveu a mexer naquilo que, culturalmente falando, estava instituído. Havia um respeito, uma ética, um cuidado”, salientou Marlina. “Como reagiram as entidades? Elas foram consultadas?”, indagou. “Estamos falando de alimentação e de um valor irrisório”, emendou a vereadora, referindo-se aos R$ 8 mil mensais que devem ser economizados, segundo Jocimar, com a medida.

Em aparte, André Rezini (Rezini) formulou um requerimento para que o secretário de Desenvolvimento Social, Leandro Hyarup, tenha a oportunidade de explanar sobre o assunto numa próxima sessão ordinária, proposta que teve o apoio da parlamentar.

Por fim, ela destacou a carta em que moradores de rua solicitam providências em relação ao ocorrido e defendeu o seu direito à cidadania: “[Eles são] tão cidadãos como eu, como os senhores, como as famílias dos senhores”, afirmou, dirigindo-se aos demais parlamentares.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também