AGENDA

SESSÃO SOLENE - ENTREGA DE COMENDAS: 22/10 - 18H

AUDIÊNCIA PÚBLICA - PLC 15/2019 (PLANO DIRETOR DO JARDIM MALUCHE): 24/10 - 17H

SESSÃO ORDINÁRIA: 29/10 - 17H

imprensa

11/09/2019

Pronunciamento

​“A maior ferramenta que uma administração pode ter é o material humano", diz Tuta Duarte

Destaque

O vereador Claudemir Duarte, o Tuta (PT), comentou durante a sessão ordinária desta terça-feira, 10 de setembro, a respeito do editorial intitulado “Herança Maldita”, publicado pelo jornal O Município em 30 de agosto. O texto tem como foco ações que acarretaram recentes condenações ao município de Brusque por fatos ocorridos entre 1994 e 2009. Os processos resultam, de acordo com o periódico, numa dívida de quase R$ 20 milhões.

“Sem dúvida nenhuma, uma situação bem complicada é a do ECAD [Escritório Central de Arrecadação e Distribuição]. São R$ 3 milhões”, disse o parlamentar, referindo-se a um processo ajuizado em 1998 pelo ECAD, responsável pela arrecadação e distribuição de valores relativos a direitos autorais de músicas aos respectivos autores das canções.

“Tem também a questão de 1994, dos funcionários que na época não tiveram seus direitos garantidos”, acrescentou o orador, em alusão à condenação imposta ao município pela Justiça do Trabalho, no valor R$ 2,8 milhões, por causa de débitos junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Em seguida, Tuta discordou das críticas feitas pelo editorial a direitos concedidos aos servidores públicos - direitos estes que o texto jornalístico cogita como um dos fatores que estariam a drenar recursos das áreas de Saúde, Educação e Obras: “Todas as prefeituras têm que honrar com seus compromissos. O que me preocupa é que a mídia volta a falar do servidor efetivo, sendo que o servidor da Prefeitura ou da Câmara de Vereadores pode sofrer um processo administrativo [se faltar com suas obrigações]. Não acho legal colocar nessa situação os direitos dos servidores efetivos”, defendeu.

“Os direitos não podem ser tratados como algo que possa vir a inviabilizar qualquer investimento ou evolução da estrutura [pública]. Quando se fala em funcionalismo público, coloca-se tudo no mesmo balaio. Não é assim. Todos têm família, seus encargos e atribuições. A maior ferramenta que uma administração pode ter é o material humano. Eles [os servidores] são a estrutura de um governo, por isso, é preciso ter cuidado com essas colocações. É fácil jogar a culpa no servidor para ser ovacionado”.   

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também