AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 16/10 - 17H

imprensa

09/05/2018

Pronunciamento

Zancanaro destaca vantagens da Base Nacional Comum Curricular da Educação Básica

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 8, o vereador José Zancanaro (PSB) comentou o anúncio feito na mesma reunião pelo colega Gerson Luís Morelli, o Keka (PSB), sobre sua desvinculação da base aliada ao governo Jonas Paegle (PSB). O parlamentar observou que tanto ele quanto Keka fazem parte do mesmo partido do prefeito, o PSB, mas ainda assim adotam hoje, na casa legislativa, uma postura independente - fato que, para ele, indica a ocorrência de falhas na “articulação política”, que não estaria correspondendo às expectativas.

“Keka não foi influenciado por ninguém, a decisão foi exclusiva do nobre vereador. Na realidade, somos poderes independentes e harmônicos. Todos temos a responsabilidade de ajudar a governar, com coerência e com vistas ao bem-estar social e o bem comum. Não é porque fazemos parte de um grupo que devemos nos subornar a determinadas votações”, afirmou. “Cada um sabe do compromisso que tem com a cidade e com os seus eleitores”.

BNCC

Na sequência, o vereador teceu comentários sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) anunciada pelo Ministério da Educação como um “conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica”.

Prevista na Lei Federal 13005/2014 e no Plano Nacional de Educação (PNE), observou Zancanaro, a BNCC deverá orientar os currículos das escolas públicas e privadas em todo o país, com o objetivo de promover a equidade e a qualidade do ensino, “respeitando, evidentemente, a autonomia assegurada pela Constituição Federal aos estados, municípios e escolas”.

“A BNCC deverá fixar conteúdos mínimos que os estudantes devem aprender em cada etapa da Educação Básica, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. A intenção é diminuir as desigualdades educacionais e melhorar a qualidade da educação”, salientou o vereador. “O currículo comum vai facilitar a vida do estudante no caso de uma transferência de escola, de um município ao outro, ou de um estado para o outro. Ele não terá prejuízos e não precisará passar por uma adaptação”.

O orador finalizou defendendo a urgência de maiores investimentos na Educação Básica: “Como é que vamos ter educação de qualidade sem investir nessa área? De nada vai adiantar termos os mesmo currículos e conteúdos programáticos em nível de país, se o MEC não investir também na Educação Básica, que prepara o estudante para o Ensino Superior”. 

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também